pesquisa magos da luz

Custom Search
------------------- -------------------------------------
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
Mostrando postagens com marcador Deuses Gregos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Deuses Gregos. Mostrar todas as postagens

11 de jan de 2011

Dados Mágicos

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

Dados Mágicos
Dados Mágicos. Concentre-se e permita que eles busquem a resposta em você!
Tire a sorte neste grande jogo da vida...

9 de jan de 2011

meu filho ve espiritos (relato)

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui


Tenho um primo que morreu a 2 anos atrás, o nome dele era MÁRCIO, éramos como se fôssemos irmãos. Quando ele morreu eu estava grávida de 3 meses e eu estava do lado dele na hora em que ele morreu. Fiquei mal minha gravidez inteira, pensando porque ele não estaria ali para me acompanhar e me dar força durante a minha gravidez.
Um mês se passou após sua morte e eu tive um sonho meio real... Encontrei-me com ele e falei o quanto eu estava triste e o quanto eu queria ele do meu lado. Ele disse que quando eu chorasse era pra eu lembrar dele, pois ele estaria sempre segurando minha mão.
O tempo passou... Meu filho nasceu e dei o mesmo nome, MÁRCIO (sempre achei que fosse uma maneira de sempre ter o meu primo na lembrança e no dia a dia). Muitas vezes achava que o meu filho era a reencarnação do meu primo. O tempo foi passando, meu filho está aprendendo a falar e a mais ou menos 1 mês atrás, peguei ele conversando sozinho no quarto. Fiquei observando por cerca de 7 minutos, até que ele voltou a brincar normal. Deixei pra lá, achei que fosse porque ele estava aprendendo a brincar, mas ontem um fato me intrigou...
Hoje meu filho tem 2 anos e 1 mês e ontem à noite, lá em casa, faltou energia. Estava na sala sentada no tapete com a filha do meu primo que morreu, ela tem 7 anos (minha afilhada), a mulher dele e a sobrinha dela. Estávamos relembrando cenas do meu primo falecido, falando da falta e da saudade quando comecei a escutar meu filho falando sem parar e morrendo de rir lá fora, no escuro, perto do tanque. O chamei uma vez e ele não respondeu, chamei a segunda... ele veio e falou assim:
- Oi.
Perguntei com quem ele tanto falava... Na hora ele respondeu:
- Com o pai da Bia mãe!
Bia é a filha do meu primo, a minha afilhada. Na hora fiquei sem reação, a Bia se agitou e começou a procurar o pai dela, mas não tinha ninguém. Chamei ele e fiquei perguntando, mas ele não respondia mais nada.
Hoje pela manhã liguei para a babá dele e pedi para ela observar o comportamento dele, enquanto eu contava a ela o que aconteceu ele começou a gritar do outro lado:
-JESUS mamãe, Jesus mãe!
Nossa, estou sem saber o que pensar... Será que é meu primo? Será que meu filho está tendo contato com ele?

10 de mai de 2010

Shiva Mantra Mahamrityunjaya

visualizar


http://www.youtube.com/watch?v=ClxgIS-_X_g&feature=related
 
 
महामृत्युंजय मंत्र * O Mantra da vitória sobre a morte
त्र्यम्बकम् यजामहे सुगन्धिम् पुष्टिवर्धनम्.
उर्वारुकमिव बन्धनान्मृत्योर्मुंक्षीय मामृतात्.
(ऋग्वेद 7.59.12, यजुर्वेद 3.60)

27 de abr de 2010

Assista em seu computador programas Espíritas

TVCEI - A primeira Webtv do mundo

    Assista em seu computador programas Espíritas elaborados com qualidade profissional. Basta clicar no canal.

14 de set de 2009

Deuses Gregos

Deuses Gregos

Na concepção greco-romana, os imortais classificavam-se em: Divindades primordiais, superiores, siderais, dos ventos, das águas e alegóricas.

Divindades Primordiais:

GeiaMãe de todos os seres, personificação da terra.

Surgiu do Caos e gerou Urano, os Montes, o Mar, os Titãs, os Centímanos (Hecatonquiros), os Gigantes, as Erínies, etc. O mito de Géia provávelmente começou como uma veneração neolítica da terra-mãe antes da invasão Indo-Européia que posteriormente se tornou a civilização Helenística.

UranoO primeiro rei do Universo, segundo Hesíodo (céu estrelado).

Casou-se com Géia, da qual teve os Titãs, as Titânidas, os Ciclopes e os Hecatonquiros. Urano, por ódio, lançou no Tártaro os Ciclopes e os Hecatonquiros, Géia porém deu uma foice aos Titãs para que se vingassem. Cronos, o mais audacioso deles, castrou Urano e tornou-se o senhor do universo!

CronosFilho de Urano e Géia.

O mais jovem dos Titãs. Se tornou senhor do céu castrando o pai. Casou com Réia, e teve Héstia, Deméter, Hera, Ades e Poseidon. Como tinha medo de ser destronado, Cronos engolia os filhos ao nascerem. Comeu todos exceto Zeus, que Réia conseguiu salvar enganando Cronos enrolando uma pedra em um pano, a qual ele engoliu sem perceber a troca. Mais tarde Zeus voltou, deu ao pai um remédio que o fez vomitar os filhos, e logo depois o destronou e baniu-o no tártaro. Cronos escapou e fugiu para a Itália onde reinou sobre o nome de Saturno. Este período no qual reinou foi chamado de "A era de ouro terrestre".

CiclopesArges, Brontes e Estéropes.

Pertenciam a raça dos gigantes. Forjavam os raios e os trovões para Zeus. Teriam sido mortos por Apolo para vingar a morte de Asclépio.

Segundo Homero, porém, teria sido um povo de gigantes rudes, fortes, indiferentes às divindades, dedicados ao pastoreio.

Hecantoquiros (ou Centimanos)

Briareu, Coto e Giges.

Gigantes de cem braços e cinquenta cabeças. Tendo hostilizado o pai, este os mandou para horríveis cavernas nas vísceras da terra. Participaram da rebellião contra Urano. Quando Cronos tomou o poder, os aprisionou no tártaro. Libertados por Zeus, lutaram contra as titãs. Com a habilidade de arremeçar cem pedras de uma vez venceram os titãs. Briareus era guarda-costas de Zeus.

Titãs – Oceano, Hipérion, Japeto, Céos, Créos e Cronos.

Titanidas Téia, Réia, Têmis, Mnemôsine, Febe e Téis.

Zeus – O deus supremo do mundo, o deus por excelência.

Presidia aos fenómenos atmosféricos, recolhia e dispersava as nuvens, comandava as tempestades, criava os relâmpagos e o trovão e lançava a chuva com sua poderosa mão direita, à sua vontade, o raio destruidor; por outro lado mandava chuva benéfica para fecundar a terra e amadurecer os frutos. Chamado de o pai dos deuses, por que, apesar de ser o caçula de sua divina família, tinha autoridade sobre todos os deuses, dos quais era o chefe reconhecido por todos. Tinha o supremo governo do mundo e zelava pela ordem e da harmonia que reinava nas coisas. Depois de ter destronado o sei pai, dividiu com seus irmãos o domínio do mundo. Morava no Olimpo, quando sacudia a égide, o escudo formidável que lançava relâmpagos explodia a procela. Casou-se com Hera, porém teve muitos amores.

Hera – Irmã e esposa de Zeus, a mais excelsa das deusas. A Ilíada a representa como orgulhosa, obstinada, ciumenta e rixosa. Odiava sobretudo Héracles, que procurou diversas vezes matar. Na guerra de Tróia por ódio dos troianos, devido ao julgamento de Páris, ajudou os gregos.

Hestia Deusa do fogo e da lareira.

Demeter É a maior das divindades gregas ligadas à terra produtora; seu nome significa Terra-mãe.

De Zeus teve Perséfone, que foi raptada por Hades. Enraivecida, fez com que a terra se tornasse árida. Zeus, para aplacá-la, obteve de Hades que Perséfone permanecesse quatro meses nos Infernos, junto com o marido, e oito meses ao lado de sua mãe. O seu mito em relação a Perséfone teve lugar nos mistérios eleusinos.

Apolo – Filho de Zeus e de Leto, também chamado Febo, irmão gêmeo de Ártemis, nasceu às fraldas do monte Cinto, na ilha de Delos. É o deus radiante, o deus da luz benéfica. A lenda mostra-nos Apolo, ainda garoto, combatendo contra o gigante Títio e matando-o, e contra a serpente Píton, monstro saído da terra, que assolava os campos, matando-a também. Apolo é porém, também concebido como divindade maléfica, executora de vinganças. Em contraposição, como dá a morte, dá também a vida: é médico, deus da saúde, amigo da juventude bela e forte. É o inventor da adivinhação, da música e da poesia, condutor das Musas, afasta as desventuras e protege os rebanhos.

Artemis – Deusas da caça, filha de Zeus e Leto, irmã gêmea de Apolo.

Representava a mais luminosa encarnação da pureza feminina. Eram-lhe oferecidos sacrifícios humanos em tempos antiquíssimos. Deusa da Lua, declinava-se, circundada por suas ninfas, vagar de dia pelos bosques à caça de feras, à noite, porém, com o seu pálido raio, mostrava o caminho aos viajores. Quando a Lua, escondida pelas nuvens, tornava-se ameaçadora e incutia medo nos homens, tomava o nome de Hécate.

Atena - Surgiu toda armada do cérebro de Zeus, depois de ter ele engolido seu primeira esposa Métis.

Era o símbolo da inteligência, da guerra justa, da casta mocidade e das artes domésticas e uma das divindades mais veneradas. Um esplêndido templo, o Partenon, surgia em sua honra na Acrópole de Atenas, a cidade que lhe era particularmente consagrada. Obra maravilhosa de Ictino e de Calícrates, o Partenon continha uma colossal estátua de ouro dessa deusa, de autoria do famoso escultor Fídias.

Hermes – Filho de Zeus e de Maia, o arauto dos deuses e fiel mensageiro de seu pai, nasceu numa gruta do monte Ciline, na Arcádia. Lodo que nasceu, fugiu do berço e roubou cinqüenta novilhas do rebanho de Apolo, em seguida, com a casca de uma tartaruga, construiu a primeira lira e com o som deste instrumento aplacou Apolo, enfurecido pelo furto; esse deus acabou por deixar-lhe as novilhas e deu-lhe o caduceu, a vara-de-ouro, símbolo da paz, n troca da lira. Zeus deu-lhe o encargo de levar os mortos a Hades, daí o epíteto de Psicompompo. Inventou, além da lira, as letras e os algarismos, fundou os ritos religiosos e introduziu a cultura da oliveira. Deus dos Sonhos, eram lhe oferecidos sacrifícios de porcos, cordeiros, cabritos... Seus atributos eram a prudência e a esperteza. Livrou Ares das correntes dos Aloídas, levou Príamo à tenda de Aquiles e matou Argos, guarda de Io. Era representado com um jovem ágil e vigoroso, com duas pequenas asas nos pés, um chapéu de abas largas na cabeça e o caduceu nas mãos.

Afrodite – A deusa mais popular do Olimpo grego, símbolo do amor e da beleza. Filha de Zeus e de Díone ou, segundo outra versão, nascida da espuma do mar na ilha de Chipre. Acompanhavam-na as Horas, as Graças e as outras divindades personificadoras do amor. Era esposa de Hefesto, porém amou Ares, Hermes, Dioniso, Poseidon e Anquises. Por seus amores com Ares, foi considerada também como divindade guerreira. A sede mais antiga de seu culto era a ilha de Chipre.

Hefesto Deus do fogo, filho de Zeus e Hera.

Trabalhava admiravelmente os metais e construiu inúmeros palácios de bronze, além da esplêndida armadura de Aquiles e o cetro e a égide de Zeus. Segundo uma tradição, nasceu coxo, pelo que sua mãe lançou-o do alto do monte Olimpo, foi recolhido por Tétis e Eurínome, com as quais permaneceu durante nove anos. Voltando ao Olimpo, ao defender Hera contra Zeus, este atirou-o do céu e, precipitando durante um dia inteiro, caiu na ilha de Lemos. Suas forjas, com vinte foles, foram depois do Olimpo colocadas no Etna, onde tinha os Ciclopes como companheiros de trabalho.

Hades – Senhor do reino subterrâneo. Acreditava-se que, com seu carro, viesse ao mundo para buscar as almas dos mortos. Possuía um capacete que o tornava invisível. Somente Hades tinha o poder de restituir a vida de um homem, porém, utilizou-se desse poder pouquíssimas vezes e, assim mesmo, a pedido da esposa. Era o deus das riquezas porque dominava nas profundezas da terra, de onde mandava prosperidade e fertilidade; era considerado um deus benéfico.

Poseidon Depois que os Titãs foram derrotados por Zeus, na divisão do mundo coube-lhe a senhoria do mar e de todas as divindades marinhas. Tinha um palácio nas profundezas do mar, onde morava com sua esposa Anfiritre e seu filho Tritão. Sua arma era o tridente, com o qual levantava as ondas fragorosas, que engoliam as naus, e fazia estremecer o solo ou desperdiçar os recifes. Odiava Ulisses, por ele ter cegado o Ciclope Polifemo, seu filho. Foi inimigo de Tróia, depois que seu rei Laomendonte lhe negou a compensação pela construção das muralhas da cidade, ocasião em que mandou um monstro marinho para devorar Hesíon, filha do rei, que Héracles matou. Teve com Zeus, numerosos amores, todavia enquanto os filhos de Zeus eram heróis benfeitores, os de Poseidon eram geralmente gigantes malfazejos e violentos.

Ares – Deus da guerra, filho de Zeus e de Hera.

Deleitava-se com a guerra pelo sei lado mais brutal, qual seja a carnificina e o derramamento de sangue. Inimigo da serena luz solar e da calmaria atmosférica, ávido de desordem e de luta. Ares era detestado pelos outros deuses, o próprio Zeus o odiava. Tinha como companheiros nas lutas Éris, a discórdia; Deimos e Fobos, o espanto e o terror, e Ênio, a deusa da carnificina na guerra. Amou Afrodite, da qual teve Harmonia, Eros, Anteros, Deimos e Fobos.

Dioniso – Filho de Zeus e de Sêmele, deus do vinho e do delírio místico.

Em sentido mais geral, representava aquela energia da natureza que, por efeito do calor e da umidade, amadurece os frutos; era, pois, uma divindade benéfica. De todas as divindades, era a que mais aproximava dos homens. Teve um nascimento milagroso, com efeito, morrendo-lhe a mãe antes que tivesse o necessário desenvolvimento, foi recolhido pelo pai que o costurou numa de suas coxas e aí o conservou até que o garoto pudesse enfrentar a vida. Dioniso demonstrou muito cedo sua origem, divina: crescia livre, amante da caça e possuía o estranho poder de amansar as feras mais ferozes. Um dia, criou a videira e quis dar o vinho a todos os homens; para esse fim, empreendeu numa longa viagem, através de todas as terras, seguido por um cortejo de ninfas, sátiros, bacantes e silenos. Por onde passavam, os homens tornavam-se felizes. Na Frígia, concedeu ao rei Midas a faculdade de poder transformar em ouro tudo que tocasse. Na Trácia, o rei Licurgo tentou dispersas a comitiva: Dioniso indignado, cegou-o. Em Delos, concedeu às filhas do rei Ânio o poder de mudar a água em vinho. Casou-se com Ariadne, depois que esta foi abandonada por Teseu; as núpcias foram celebradas com suntuosidade e o casal subiu ao Olimpo sobre um carro puxado por panteras.

Divindades Siderais:

Helios Filho de Hipérion e de Téia, titã por excelência, irmão de Selene e de Éos, personificação do Sol. Surgia todas as manhãs do Oceano para conduzir o carro do Sol, puxado por cavalos que expeliam fogo pelas narinas. Penetrava com seus raios em todos os juramentos. Mais tarde foi confundido com Apolo. O Colosso de Rodes foi uma estátua lhe consagrada.

Selene - Deusa da Lua, irmã de Helios e Éos, da família dos Titãs.

Era uma linda deusa, de braços brancos, com longas asas, que percorria o céu sobre um carro para levar aos homens a sua plácida luz. Amou Endimião e foi, posteriormente, identificada com Ártemis.

Eos Deusa que anunciava o dia. Era representada sobre o carro da luz, guiando os cavalos, com uma tocha na mão.

Divindades dos Ventos:

Boreas Filho de Astreu e de Éos, deus dos ventos do norte, morava na Trácia. Pertencia à raça dos Titãs e era irmão de Zéfiro, Euro e Noto. Raptou Orítia, com a qual casou e que lhe deu os filhos Cálais e Zetes.

Zefiro Vento que sopra do Poente, anunciador da primavera e venerado como deus benéfico.

Euro – Vento que sopra do Oriente, dependente de Éolo.

Noto – O vento do Sul.

Eolo Rei dos ventos, às vezes identificado com o filho de Poseidon e Arne. Morador das ilhas Eólias, acolheu amigavelmente Ulisses e seus companheiros e deu-lhes um odre em que estavam encerrados todos os ventos contrários à navegação Ítaca. Os companheiros de Ulisses, por curiosidade, abriram-no e os ventos desencadearam uma terrível tempestade que causou o naufrágio de quase toda a frota.

Divindades das Aguas

Oceano – O mais velho dos Titãs, marido de Tétis, pai de todos os rios e das Oceânides. Era a personificação da água que envolve o mundo.

Nereu Velho deus marinho, filho do Ponto e de Géia.

Tinha o dom da profecia e a faculdade de tomar várias formas. Era representado com os cabelos, sobrancelhas, queixo e peito cobertos por juncos marinhos e por folhas de plantas similares.

Proteu Pastor das focas de Poseidon.

Morava numa ilha próxima ao Egito e tinha o poder de metamorfosear-se em todas as formas que desejasse, não só de animais, mas também de plantas e de elementos, com a água e o fogo. Segundo Eurípedes, Proteu foi rei da ilha de Faros e, casando-se com Psâmate, teve os filhos Idoteu e Teoclímenes.

Ninfas – Filhas de Zeus, representavam as forças elementares da natureza.

Moravam nos montes, nos bosques, nas fontes, nos rios, nas grutas, das quais eram potências benéficas. Viviam livres e independentes, plantavam árvores e eram de grande utilidade aos homems. Dividiam-se em Oceânides, Nereidas, Náiades, Oréades, Napéias, Alseidas, Dríades e Hamadríades.

(Fonte: Texto retirado da Internet )

SOBRE A DEUSA VENUS e a MAGIA

Na antiguidade, a deusa Vénus era vista sob diversos outros nomes, em diferentes culturas. No antigo Egipto, era Hator: deusa da fertilidade. Entre os babilónicos, fenícios e caananitas, foi vista como Aserá e Astarte. Tanto Aserá como Astarte ou Vénus, eram veneradas em templos dedicados á Deusa do Amor, aquela que traz fertilidade, prosperidade, vitoria e sucesso. O seu culto era feito através do festivais primaveris, onde flores, danças e alegria eram dedicadas á Deusa, em troca da sua protecção que trazia prosperidade a todos os níveis: negócios, família, filhos, colheitas, sucessos em todos os empreendimentos.

Entre os romanos, o dia da Deusa Vénus era a sexta feira, e por isso esse dia tinha o nome de «Veneris dies»

Ainda hoje em Inglês, sexta feira é «Friday», nome que sucede em honra da Deusa Vénus, (Fri" = Freya, de freo, free: livre; deusa teutónica do Amor, Beleza, Fecundidade, líder das Valquírias), assim como em francês «Vendredi» também tem origem no culto da deusa Vénus, e igualmente em alemão «Freitag» tem a mesma origem mitológica e esotérica ( Frei = Freya, de frija: amada, dos amados, livre; equivalente à deusa anglo-saxã)

A CONCHA - SIMBOLO PAGAO DE VENUS

No mito do nascimento de Vénus, conta-se que a deusa surgiu de dentro de uma concha de madrepérola, tendo sido gerada pelas espumas.

Pois a concha, tem sido desde então um símbolo esotérico poderoso e carregado de simbologias poderosas, todas elas ligadas á força espiritual que emana desta figura celestial que é a Deus Vénus, e que representa a própria essência do feminino, do amor, da fertilidade.

Ainda nos dias de hoje estas simbologias permanacem de forma oculta em diversas religiões, ate mesmo naquelas onde menos se espera. O novo Papa, tem uma veste oficial constituída por um manto adornado de conchas, símbolo esotérico directamente relacionado com os cultos da fertelidade e prosperidade representados pelo principio feminino que Vénus simboliza.

ORIGENS E EXISTENCIA DA DEUSA VENUS

Muitas genealogias mitológicas explicam a descendência de Vénus, contudo regra geral aceita-se que a Deusa Vénus é filha do Céu e da Terra, tendo sido gerada nas espumas no oceano. Vénus é a Deusa do Amor e da beleza. Depois de nascer, Vénus foi levada para o céu, sendo que os deuses ficaram extasiados com a sua irresistível e inigualável beleza. O deus Vulcano tomou-a como esposa, em virtude de ter fabricado os raios que ofereceu a Júpiter na sua luta contra os Gigantes que ameaçavam expulsa-lo do Céu. Pelo préstimo ao Júpiter, Vulcano recebeu Vénus por esposa. No entanto, perante os tratos pouco agradáveis do marido, a Deusa procurou a companhia de outros Deuses, com quem teve diversos casos amorosos. Vénus conheceu Marte, tornou-se amante dele e teve o filho Cupido. Vénus amou também Adónis, num célebre caso de tórrido amor que abalou o Olimpo. Vénus fez amor com Deuses e mortais, espalhando tanto no céu como na terra descendentes mitológicos. A deusa do amor fez justiça ao seu título, e personificou a própria essência do ser feminino em toda a sua indomável beleza e liberdade. Os romanos consideravam-se descendentes da deusa, pelo lado de Eneias, o fundador mítico da raça romana, que era filho de Vénus com o mortal Anquises.

VENUS E OS ETERNOS DIAMANTES

A deusa Vénus simboliza o amor, a luxúria e a prosperiade. E se procuramos um símbolo altamente relacionado com Vénus, encontramo-lo no…. Diamante.

O diamante é o símbolo dos apaixonados.

Na Antiguidade,o diamente era chamado «Pedra de Vénus». O nome advinha do intenso brilho dos diamantes, que ra relacionado com o resplandecente brilho do planeta Vénus. Assim, sendo que Vénus representacva o amor, os diamantes passaram a ser vistos como objectos advindos de Vénus e por isso relacionados com o feminino e com a paixão. Na grécia, o diamente era chamado de «adama», que signfica: eterno. Pois na verdade o amor é eterno, e tambem são os diamantes, símbolo da eternidade desta Deusa que apesar de todas as lutas para a apagar da historia, jamais se desvaneceu.

MAGIA E VENUS

A deusa Selena, ( nalgumas mitologias relacionada com Hecate), e Vénus, eram as deusas a quem as poderosas forças da luxúria e do amor estavam relacionadas.

Por isso, todos os trabalhos místicos relacionados com o amor, o erotismo ou a luxúria, devem ser direccionados a Vénus, e á força espiritual que esta entidade representa, sendo que ainda nos dias de hoje essa mesma essência se perpetua nas crenças místicas atraves da astrologia.

Igualmente os favorecimentos em assuntos de fertilidade, prosperidade e sucesso, devem ser endereçados a esta força espiritual, e ás influencias que ela representa no nosso mundo terreno.

Banho da Deusa Vênus

Com este banho mágico,( veja também: banhos mágicos), o seu corpo ganhará um brilho especial que vai atrair irresistivelmente o homem dos seus sonhos.

Eis como proceder.

Tenha:


· 1 litro de água mineral.

· metade de uma maçã com casca

· 7 pétalas de rosa vermelha

· 7 gotas de essência de sândalo

*****

Numa sexta feira, (dia de Vénus), faça o seguinte:


1- Ferva numa panela 1 litro de água mineral.

2- Apague o fogo e acrescente a metade de uma maçã com casca, 7 pétalas de rosa vermelha, 7 gotas de essência de sândalo.

3- Deixe a mistura esfriar. Depois de atingir uma temperatura amena, retire a pétalas de rosa e as maças para um saquinho plástico.

3- No final da tarde, tome um banho normal. Em seguida, despeje o preparado pelos ombros abaixo.


4 - Deixe que a mistura seque naturalmente no seu corpo, sem utilizar toalha.

5- nessa sexta feira á noite, o saquinho com as pétalas e maças, deve ser devolvido ao mar.

Resultado: seu corpo ganhará um brilho especial que vai trazer a si, com desejo, o seu amado.


magias de são cipriano

São Cipriano – Magia de São Cipriano

MAGIA DO PÉ DE SAPATO
Para saber quanto tempo ainda resta para se casar, a moça atira um pé de sapato pelas escadas.
Se o bico do sapato ficar para cima, não haverá casamento.
Se a sola ficar para cima, haverá casamento. O número de degraus, contados do alto da escada até ao degrau onde ficou o sapato indicará os meses ou os anos que faltam para a realização do casamento.
MAGIA PARA CASAR COM UM RAPAZ RICO
Durante a semana santa, não mudar de calça, dormindo com a mesma, desde domingo de ramos até sábado de aleluia. No sábado de aleluia, antes do sol nascer, tirar a calça, urinar nela, escondendo-a debaixo do colchão. No dia seguinte, domingo da ressurreição, ir á primeira missa, vestindo essa calça. Na noite de domingo, antes de deitar-se, fazer um embrulho composto das calças, 3 moedas de um valor qualquer, contando que chegue a um cruzeiro, com uma estrela do mar e pedra. Isso tudo coserá, porá dentro de um pequeno saco, em lugar que ninguém veja. Numa noite de lua nova, atirá-la ao mar, pensando no rapaz com quem quer casar, dizendo:
“Fulano, tu ficas amarrado,
E nestas águas do mar molhado,
Até comigo estares casado.”
Se não houver resultado no correr do ano, renovar a mágica com o mesmo ou com outro rapaz rico.
MÁGICA DO GATO PRETO – PARA MAGIA NEGRA
Ponhamos na nossa mente que uma pessoa qualquer deseja vingar-se de um inimigo, mas não quer que ele seja sabedor da vingança que lhe arma. Vinga-se facilmente, fazendo da seguinte maneira:
Pega num gato preto que não tenha um só cabelo branco, amarram-se-lhe os pés e as mãos com uma corda de esparto (daquelas com que se fazem sapatos). Depois dessa operação executada, levai-o a uma encruzilhada de monte, e logo que ali chegue, dizei o seguinte:
Eu fulano (dizer o nome) da parte de deus onipotente, mando ao demónio que me apareça aqui, já, debaixo da santa pena da obediência e preceitos superiores. Eu, pelo poder da mágica negra liberal, mando-te, demónio ou Lúcifer, ou Satanás, ou Barrabás, que te metas no corpo dessa pessoa, a quem eu desejo mal, e que de lá não se retire enquanto eu não mandar, e que me faças tudo aquilo que te propuser durante a minha vida.”
(Aqui diz-se o que se deseja que ele faça á criatura)
“Ó Grande Lúcifer, imperador de tudo o que é infernal, eu te prendo e amarro no corpo de... (fulano) assim como eu tenho preso este gato: no fim de me fazer tudo aquilo que eu quiser, ofereço-te este gato preto, trago-te aqui, quando tudo estiver pronto”
Advertência:
Quando o demonio se desempenhar da obrigação que lhe impuseste, ide ao lugar onde lhe requereste e dizei 2 vezes: “Lucifer, Lucifer, aqui tens o gato que te prometi!”. E ditas tais palavras soltai o gato.
Trabalho que se faz com 2 bonecos- amarração
Preparai um boneco e uma boneca, feitos com panos de linho de algodão. Depois de estarem prontos deveis uni-los um ao outro e muito abraçados.
“Eu te prendo e te amarro, em nome de nosso senhor Jesus Cristo, pai, filho e Espírito santo, para que debaixo deste santo poder, não possas comer nem beber, nem estar em parte alguma do mundo sem que estejas na minha companhia (Fulano/a), aqui te prendo e amarro, assim como prenderam nosso senhor Jesus Cristo no madeiro da cruz; e o descanso que tu terás enquanto para mim não virares é como o que têm as almas no fogo do purgatório, penando continuamente pelos pecados deste mundo, e como o que tem o vento no ar, as ondas no mar, sempre em continuo movimento, a maré a subir e a descer, o sol que nasce na serra e que vai pôr-se no mar. Será esse o descanso que eu te dou, enquanto para mim não te virares, com todo o teu coração, corpo, alma e vida; debaixo da santa pena de obediência e preceitos superiores, ficas preso e amarrado a mim como ficam estes dois bonecos amarrados juntos”.
Estas palavras devem ser repetidas 9 vezes á hora do meio-dia depois de se rezar a oração das “horas abertas”.
ORAÇÃO DAS HORAS ABERTAS
Para o meio dia:
“Ó Virgem dos Céus Sagrados,
Mãe do nosso redentor,
Que, entre as mulheres tens palma,
Trazei alegria á minha alma,
E vem depor nos meus lábios
Palavras de puro amor.
Em nome do Deus dos mundos,
E também do filho amado.
Onde existe o sumo bem.
Seja para sempre louvado.
Nesta hora bendita.
Amem.
O poder da cabeça de víbora - para o bem e para o mal
Arranjai uma cabeça de víbora e, depois de seca, encastoai-a numa bengala, num chapéu de curva ou num bocado de chifre e trazei-a convosco. Assim armados, conseguireis muita coisa tanto para o bem como para o mal.
Por exemplo:
- quereis que algo não dê bom resultado, direis assim: “Víbora, para o mal te chamo...”
- quereis que algo vá para o bem, direis:
”Víbora para o bem reclamo teu poder...”
Para o bom êxito é conveniente que tudo seja dito com o pensamento em Deus, e que mais ninguém saiba do vosso segredo, senão perde toda a magia.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Marcadores

Follow by Email

Recent Posts

Postagens populares

Minha lista de blogs