pesquisa magos da luz

Pesquisa personalizada
-------------------
Mostrando postagens com marcador deuses. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador deuses. Mostrar todas as postagens

18 de dez de 2010

O DESESPERO POS ARREBATAMENTO

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

O DESESPERO POS ARREBATAMENTO

"portanto assim diz Yehua dos exércitos, em todas as praças haverá
pranto, em todas as ruas dirão, ai, ai, e o lavrador chamarão para o
pranto, e para o choro os que sabem prantear. Em todas as vinhas
havera pranto porque passarei pelo meio de ti, diz yehua dos
exércitos. Ai de vós, desejais o dia do senhor, para que desejais, é
dia de trevas e não de luz." amós 5,16
-
-
-
-
esta profecia assustadora ja se cumpriu com israel no passado e agora
vai se cumprir com toda a humanidade quando ocorrer o arrebatamento.
-
-
Os que conhecem a palavra ficarão horrorizados quando ficarem, não
sendo arrebatados, uma comoção e dor geral estará nas almas.
-
-
A dor será profunda.
-

-
A evacuação mundial ou resgate será maravilhosa para os que forem
levados e terriveis para os que ficarem.;

-
-
-
será um dia de trevas e não de luz para os que ficarem.
-
-
-
Muitos desejam ver o apocalipse, o julgamento da terra, mas quando ele
vir será de dor para estas mesmas pessoas que desejam o apocalipse,
pois não estão preparando suas almas para o encontro com seu destino,
como destino do planeta.
-
-
-
-
Portanto que possamos estar preparados, levando a mensagem do
apocalipse as pessoas que estão despreocupadas.
-
-
Temos que mostrar a verdade em todos os grupos sociais e religiões,
independentes se são evangélicos ou católicos, judeus ou islamicos,
cristãos ou budistas. Pois todos devem saber o que acontecerá ao
mundo, assim poderão tomar uma posição quando ficarem, fugindo do
controle da besta ao rejeitar o sinal, o 666.

10 de mai de 2010

Xirê dos Orixás

visualizar


http://www.youtube.com/watch?v=MG1YndD-mZE

24 de mar de 2010

quadrados magicos

User-agent: Mediapartners-Google*
Disallow:

 

Para provocar vis�es em espelhos m�gicos ou em bolas de cristal, inscreva o quadrado gnom�tico a seguir num peda�o de pergaminho consagrado e coloque-o sob o vidro ou cristal.
G I L I O N I N
I             I
L             N
I             O
O             I
N             L
I             I
N I N O I L I G


Para proteger contra feiti�arias, encantos e afastar os males do olho-grande, inscreva o quadrado abaixo num peda�o de pergaminho consagrado e use-o como uma corda branca em torno do pesco�o.
L A C H A T
A         A
C         H
H         C
A         A
T A H C A L


Para fazer um esp�rito aparecer diante de voc� sob a forma humana, inscreva as palavras de poder num peda�o quadrado de pergaminho consagrado e, ent�o, pegue o s�mbolo com a m�o direita e diga alto tr�s vezes o nome do esp�rito que voc� quer convocar.
L E V I A T A N
E R M O G A S A
V M I R T E A T
I O R A N T G A
A G T N A R O I
T A E T R I M V
A S A G O M R E
N A T A I V E L


Fonte: 'Wicca - A Feiti�aria Moderna', de Gerina Dunwich

26 de dez de 2009

SIMPATIAS PARA O ANO NOVO

User-agent: Mediapartners-Google*
Disallow:
31 DE DEZEMBRO
SIMPATIAS PARA O ANO NOVO

Atrair ou manter um amor
Quem é casada e quer manter o relacionamento deve acender duas velas amarelas. Peça a Oxum - a deusa do amor, da fertilidade, da pureza e do ouro - estabilidade no relacionamento. Se for solteira, acenda uma, e peça para que apareça alguém especial em sua vida. Depois de acesa, derrame mel em volta da vela, coloque quatro búzios, quatro moedas de mesmo valor e oito ou dezesseis rosas amarelas. Para dar certo é preciso ficar na praia até a vela terminar de queimar.
Para o amor voltar
Escolha oito pedaços de fitas coloridas com 1 metro (todas devem ter cores diferentes, menos preto e vermelho). Olhe na direção do mar e coloque quatro fitas em cada ombro. Com os pés na água, despetale três rosas amarelas. Jogue as pétalas por cima da sua cabeça e deixe que elas caiam no mar. Solte então uma fita de cada vez na água e peça que Oxum traga de volta quem você ama.
Para ter sorte no amor
Pegue cinco ou oito rosas brancas (números de Iemanjá e Oxum), perfume de alfazema, fitas com as cores da harmonia (azul, amarelo, rosa, branco e verde), espelho, talco, sabonete e bijuterias. Forre uma cesta com celofane, amarre uma fita no cabo de uma flor e jogue um pouco de talco e de perfume por cima. Depois, coloque o espelho, o sabonete e as bijuterias na cesta e leve para o mar. Conte três ondas e, na quarta, ofereça a cesta à Iemanjá e a Oxum.
Para ter felicidade
Comece a usar, a partir do dia 28 de dezembro, um par de meias brancas novas. No quarto dia, coloque a meia do pé direito no sol. Depois atire-a longe -cuidado para ela não cair em nenhum lugar úmido. À meia-noite do dia 31 coloque a meia do pé esquerdo ao luar e depois jogue longe dizendo: “Minhas meias foram longe. Não têm teia, nem idade. Se elas se foram, porque se foram, virá a felicidade. Assim seja”.
Para afastar maus fluidos
Na beira do mar, com a água na altura da canela, derrame pipoca ao longo de seu corpo, da cabeça aos pés. Deixe que o mar leve a pipoca, que é um elemento do orixá Omolu, senhor da vida, da cura e da saúde.
Para ter paz, tranqüilidade e prosperidade
Misture pétalas de rosa branca, arroz cru e uma essência e passe pelo corpo. Olhando para o mar, reze pedindo paz e prosperidade para o ano que se aproxima. Tire os sapatos e entre no mar vestida com uma roupa branca. Dê três mergulhos e dê costas para a areia.
Para ter dinheiro o ano inteiro
Leve para a praia sete rosas brancas, sete moedas do mesmo valor, perfume de alfazema e um champanhe. Reze para Iemanjá e para os orixás que têm força no mar. Conte sete ondas e jogue as flores no mar. Em seguida, coloque o conteúdo do champanhe e ofereça aos orixás. Lave as moedas com o perfume e coloque-as na mão direita. Mergulhe a mão na água e peça proteção financeira. Deixe o mar levar seis moedas e fique com uma, que deve ser guardada como amuleto durante o ano.
Crendices e superstições de Ano Novo

Acredita-se que comer lentilha traz sorte, pois, como é um alimento que cresce, faz a pessoa crescer também;
Uma das simpatias mais comuns feitas no Ano Novo para atrair dinheiro é a da romã. Chupe sete sementes na noite de Réveillon, embrulhe todas num papel e guarde o pacotinho na carteira para ter dinheiro o ano inteiro;
O consumo de aves, como o peru e o frango, e o de caranguejo não é indicado na ceia de Ano Novo. Como esses animais ciscam ou andam para trás, acredita-se que quem comê-los regride na vida;
Guarde uma folha de louro na carteira durante o ano inteiro para ter sorte;
Coma três uvas à meia-noite, fazendo um pedido para cada uma delas;
Jogue moedas da rua para dentro de casa para atrair riqueza;
Dê três pulinhos com uma taça de champanhe na mão, sem derramar nenhuma gota, e jogue todo o champanhe para trás para deixar tudo o que for ruim no passado;
Passe as 12 badaladas em cima de uma cadeira ou banquinho e depois desça com o pé direito;
Pule num pé só (o direito), à meia-noite, para atrair coisas boas;
Não passe a virada do ano de bolsos vazios para não continuar o ano inteiro com eles vazios;
Coloque uma nota no sapato para chamar dinheiro;
No dia 31, faça uma boa limpeza na casa, varrendo-a de trás para frente. Coloque para fora todo lixo, objetos quebrados e lâmpadas queimadas. Não guarde as roupas do avesso;
Para evitar energias ruins, muitas pessoas lavam os batentes das portas com sal grosso e água e borrifam água benta nos quatro cantos da casa;
Na primeira noite do ano, use lençóis limpos;
À meia-noite, para ter sorte no amor, cumprimente em primeiro lugar uma pessoa do sexo oposto;
Quem pretende viajar bastante no ano que se aproxima, deve pegar uma mala vazia e dar uma volta dentro de casa;
Abra as portas e janelas da casa e deixe as luzes acesas;
O primeiro negócio do ano nunca deve ser fiado nem com pessoa pobre.
Fonte: Guia dos Curiosos

17 de nov de 2009

As origens dos incensos

User-agent: Mediapartners-Google*
Disallow:

As origens dos incensos

A origem do incenso é tão antiga quanto a história da humanidade. Os antigos, ao fazerem as suas fogueiras perceberam que a fumaça subia ao céu e como acreditavam que os deuses também moravam no céu, pensaram que seria um bom modo de agradar os deuses.

E com a intenção de agradar a esses deuses, começaram a queimar em suas cerimônias, ervas aromáticas, madeiras, o que tivese um odor agradável, e dessa forma provavelmente foi feito o primeiro incenso.
A origem da palavra "perfume" deriva do latim "Per" (através) e "fumus" (fumo) - indicando claramente que foi, a princípio, exalado por resinas queimadas no incenso.

Foi utilizado por todas as culturas conhecidas. Além de deixar o ambiente com um aroma agradável, o que propícia uma disposição mais harmônica e alegre nas pessoas, o perfume também possui qualidades anti-sépticas e bactericidas.

Acender um incenso é um convite ao relaxamento, uma pausa bem-vinda à agitação da vida. Além de perfumar, ajudam a purificar e harmonizar os ambientes.

Era uso antigo espalhar resina e ervas aromáticas sobre carvões acesos para purificar o ar e afastar o perigo de infecções. Num primeiro momento, a fumaça tinha um valor catártico (de purificação, de relaxamento) e também apotropaico (o de afastar ou destruir as influências maléficas provenientes de pessoas, coisas, animais, acontecimentos).

O uso desta resina perfumada não era exclusivo do culto religioso.
O incenso não era queimado somente nos templos, mas também nas casas; as incensações exalavam perfume e, ao mesmo tempo, tinham um fim higiênico.
O incenso foi sempre considerado como algo muito precioso. Era utilizado em todas as cerimônias e funções propiciatórias, sobretudo queimado diante de imagens divinas nos ritos religiosos de muitos povos e, ao se sublimarem as concepções religiosas, as espirais de incenso, em quase todos os cultos, converteram-se em símbolo da oração do homem que sobe até Deus
A história revela uma relação perpétua entre o incenso e as observâncias religiosas de todas as épocas

Felizmente, alguns dos papiros de uma das mais antigas civilizações - o Egito - sobreviveram aos séculos e elucidaram muitas das práticas espirituais e rituais religiosos daqueles tempos.
O incenso era aparentemente uma parte vital dos seus rituais e era preparado com o máximo cuidado e precisão e foi do Egito que, pela primeira vez, nos chegou a ciência do incensamento.

O incenso sacro egípcio, chamado "khyphi", era feito de uma fórmula especial. Preces e encantamentos eram utilizados durante a mistura dos ingredientes para impregnar o material com os poderosos pensamentos dos sacerdotes, sendo uma tarefa de particular importância - os sacerdotes escolhidos para cultivar as árvores e plantas sagradas (das quais se fazia o incenso) viviam uma vida de pureza e austeridade para cumprir sua, tarefa espiritual com perfeição.

Seu cuidado, carinho e reverência eram imensos, pois acreditavam que as plantas vivas se beneficiavam das atenções e radiações dos seres humanos - um fato que hoje está sendo provado por cientistas e botânicos modernos (vide Máquina de Kirlian).

Os árabes por sua vez, extraíram seus conhecimentos sobre os efeitos do incenso, do Antigo Egito e rapidamente desenvolveram o uso de perfumes e óleos em uma arte altamente evoluída até hoje conhecida e cultuada.
O uso abundante do incenso na Corte e na Igreja tornou-se um símbolo de poder e riqueza e gradativamente os perfumes tornaram-se conhecidos e utilizados por todas as culturas clássicas da Europa.

Hipócrates, Críton e outros médicos-filósofos consideraram os perfumes como uma ajuda vital nas terapias de cura e classificaram-nos como medicamentos, receitando-os para tratamento, especificamente nos casos de problemas nervosos de vários tipos.
A "História Natural" de Plínio cita numerosos perfumes florais para serem usados como remédios naturais. O filósofo grego Theofrasto acreditava que algumas doenças tornavam-se mais agudas pelo uso da inalação de perfumes estranhos à natureza da pessoa, sendo então necessário um perfume equilibrante para a cura.

Diz ele que naquela época 200 A.C. - o perfume da rosa foi elaborado mergulhando-se as flores em vinho doce, indicando que havia uma experimentação na arte da destilação e um interesse vital em óleos essenciais.

Os hebreus eram familiarizados com o uso do incenso e óleo de ungimento sacro, que se dizia serem compostos de mirra, canela doce, cálamo, cássia e óleo de oliva.

Seu incenso foi introduzido por Ordem Divina "Deveis construir um altar para queimar incenso sobre ele... e Aarão deverá queimar ali incenso todas as manhãs".

Queimar incenso nas rezas permaneceu um costume através dos séculos. Velas perfumadas foram usadas na época de Constantino e sem dúvida, o incenso também, mas não, de modo algum, na Igreja Cristã antes do século IV.

Daí então, sua popularidade no ritual da igreja cresceu regularmente até que - aproximadamente no século XVI - óleos aromáticos e resinas foram aceitos como necessários para o uso no incenso, nas igrejas e nas capelas privativas dos soberanos.

O incenso era conhecido e empregado pelo povo das antigas dinastias chinesas para exorcizar maus espíritos de pessoas possuídas por entidades demoníacas - pessoas em dificuldades mentais similares àquelas muitas que se encontram hoje em casas de saúde, clínicas psicoterapêuticas e hospitais.

O incenso era queimado para purificar a atmosfera e livrar o ambiente de qualquer espírito que estivesse assombrando ou perturbando uma casa particular.
Além desses propósitos, os chineses eram tão conhecedores quanto os egípcios no seu uso do incenso nas cerimônias religiosas e deliciavam-se com o uso de outras fragrâncias exóticas existentes no Oriente.
Parecem ter utilizado como ingredientes de seu incenso, o sândalo, o almíscar (musk) e flores como o jasmim. Sabe-se que Confúcio teria elogiado o incenso e recomendado o seu uso.

O uso do incenso na Índia é encontrado em todos os antigos registros daquele país, e a origem e os propósitos do incensamento foram transmitidos desde os mais remotos tempos do começo da cultura indiana até os nossos dias - ainda hoje é o primeiro pais do mundo na sua produção.

São muito utilizados os incensos feitos com óleos de rosa, jasmim, pandang, champac, patchouli, sândalo, cipreste e outros, cada um criando um efeito distinto para o ritual religioso e para o uso pessoal caseiro.
Os astecas usavam incenso nos ritos processionais e em sacrifícios, festivais e festas. Seu deus Quetzalcoatl teria se deliciado com os perfumes aromáticos e incensos onde eles usavam a resina copal, juntamente com uma planta rara, que se supõe induzia nos devotos estados de consciência semelhantes a um transe.

O incenso foi gradualmente incorporado no ritual eclesiástico em todos os lugares, tendo permanecido até os dias de hoje na maioria das igrejas onde antigas cerimônias são ainda celebradas.

Aqueles que são sensíveis à atmosfera podem sentir o aumento do poder espiritual trazido até nós com a ajuda do ritual de incensamento.
Os usos rituais, segundo os Ciganos

Madeira: abre caminhos

Rosa: limpeza, boas vibrações

Almíscar: para o amor e romance

Acácia: sucesso nos negócios

Amanda: limpeza do ambiente

Jasmim: para assunto de amor

Lótus: paz

Alecrim: limpeza do ar

Benjoim: proteção e sucesso

Ópio: energização de objeto ou ambiente

Patchuli: grandes paixões

Sândalo: viagem astral

Dama-da-noite: encontros amorosos

Mirra: limpeza de rituais

Flor-de-laranja: calmante

Maçã verde: boa saúde, alegria, amor

Mil-flores: contra inveja

Campestre: estimula intuição e atividade mental

Espiritual: elevação espiritual

Absinto- estimula a imaginação, criatividade e sensualidade

Acácia- rituais mágicos para atrair dinheiro e prosperidade

Alecrim- proteção

Alfazema- relaxar e acalmar a mente, tranqüilidade nos relacionamentos

Almíscar- afrodisíaco

Aloe Vera- purifica ambientes, estimula sensibilidade e meditação

Âmbar- afrodisíaco

Angélica- conexão com as esferas angelicais

Aniz Estrelado- positividade no material e emocional

Arruda- limpeza, purifica os ambientes

Baunilha- relaxa e tonifica

Benjoim- purifica, atrai energia positiva

Camomila- acalma e relaxa


Canela- tem ação antidepressiva, aumenta a alegria de viver, prosperidade

Capim Limão- atua em pessoas tristes e desanimadas

Cedro do Oriente- atrai prosperidade

Chocolate- restaura a energia

Cravo- estimula energia, prosperidade

Dama da Noite- afrodisíaca

Erva Cidreira- relaxamento

Erva Doce- tranqüilidade e sensibilidade

Eucalipto- concentração e raciocínio

Flor de Laranjeira- acalma, relaxa

Flor do Campo- traz a harmonia da natureza

Floral- tranqüiliza e relaxa

Hortelã- antidepressiva

Jasmim- relaxante

Lavanda- relaxa a mente, tranqüilidade nos relacionamentos

Lírio- eleva pensamentos para busca da espiritualidade

Lótus- meditação, conhecimento espiritual

Lua- amor, paz, amplia intuição
Maçã Verde- saúde física

Madressilva- segurança emocional, elimina traumas do passado

Manjericão- proteção espiritual

Mel do Oriente- promove união e adoça as relações

Mirra- prece e oração

Morango- vitalidade e energia

Musk- afrodisíaco

Musgo de Carvalho- regenerador de energias, utilizado em magias

Noz Moscada- atrai dinheiro, aumenta segurança emocional

Opium- sensualidade, êxtase

Patchouli- paz de espírito, meditação e intuição

Sândalo- meditação e práticas espirituais

Violeta- combate a timidez, insegurança, fortalece a personalidade

Rosa Amarela- sucesso, prazer, riqueza

Rosa Branca- pureza e paz, harmonia

Rosa Buquê- harmonia e bem estar

Rosa Vermelha- amor, paixão, afrodisíaco


Texto baseado no "A GUIDE TO THE PRACTICAL USE OF INCENSE" de Sally E. Jsnasen, publicado pela Triad Library and Publishing Company.
.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Marcadores

Follow by Email

Recent Posts

Postagens populares

Minha lista de blogs